exposição

Reposicionamentos

28 SET - 18 OUT

2019

Julie Belfer apresenta seis novos artistas do seu grupo de acompanhamento em uma exposição coletiva. A diversidade de trabalhos requer um reposicionamento constante da parte do público visitante. No entanto, os diversos formatos, tamanhos e técnicas apresentam uma coesão harmoniosa.

Foto: Heloísa Lodder

abertura

18 OUT 2019

Fotos: Kelly Queiroz

ARTISTAS

Arlette Kalaigian

Carolina Colichio

Claudia Dias

Daniel Alonso

Heloisa Lodder

Luciana Mattioli

TEXTO CURATORIAL

Aqui a obra dita a posição do sujeito.

E o sujeito-público e o sujeito-autor talvez ocupem o mesmo lugar.

 

Esta exposição requer um reposicionamento constante da parte do público visitante.

A coletiva apresenta uma subversão de lugar a cada obra. Nos redimensionamos diante de cada objeto.

 

Durante o seu processo de trabalho, o artista, que navega no mesmo mundo que nós, habita além do espaço físico, o imaginário. Estão constantemente abertos para situações para as quais também compartilhamos enquanto sentidos, porém não as enxergamos. O lugar não-físico, o abismo entre o que compreendemos e o inacessível, o vazio que ocupa um espaço é uma ideia difícil de sustentar.

­­­

Brotar

 

Todos artistas trazem um certo brotar, enquanto obra e enquanto fase. Algumas obras visualmente parecem cenas vistas de microscópio, enquanto outras, mesmo que tenham algo de orgânico e nascente-vivo-bicho, não são 100% identificáveis. Alguns trabalhos chegam um pouco mais próximos de nós. Reconhecemos as cenas, nos trazem conforto de algo que perambula pela nossa memória afetiva coletiva. Mas esse aconchego foge instantaneamente quanto nos deparamos com as verdades em cena. Reconhecemos também texturas ou processos que possivelmente já até testamos um dia. Mas nunca nos demos conta da monumentalidade possível alcançável em um processo tão manual.

 

Todas as obras nos obrigam, em um segundo momento, a nos desprender do lugar que conhecemos para avançar aonde os artistas já entraram e para onde nos convidam. As possibilidades em uma coletiva são muitas e com cada obra, temos uma nova relação. A riqueza e a satisfação de um grupo nos levam a uma nova desconhecida floresta de sentidos onde também podemos germinar.

 

Para acompanhar a arte atual, precisamos estar prontos e dispostos para rupturas.

SERVIÇO

Abertura: Sábado, 28 SET, 15h - 20h

Visitação: 01 - 18 OUT

 

 

Local:

New Gallery, Rua Padre Garcia Velho, 173 Pinheiros, São Paulo

Terça à Sexta das 10h às 12h e das 14h às 18h

Sábados das 10h às 15h

Contato:

11 3815-8711, contato@newgallery.com.br

Produção: Tato
Realização: New Gallery, Julie Belfer